MENU

Produção empenhada em fazer cada vez melhor

14 de janeiro de 2022

 

Por Ana Gomes Oliveira

Veracruz com o primeiro ano de grandes resultados

Com 1.300 hectares distribuídos entre o Fundão e Idanha-a–Nova, o projecto Veracruz tem já 850 ha plantados, prevendo atingir as 4.000 toneladas de produção de amêndoa a partir de 2025. Com uma aposta muito forte em smart farming e dispostos a contribuir de forma efectiva para a região e para o País, a Veracruz assume-se como um projecto inovador e pioneiro. São os primeiros produtores de amêndoa a ter um sistema de blockchain na produção que permite a toda a cadeia acompanhar o percurso do produto de forma 100%
automatizada e em tempo real. Sobre estas e outras novidades, falámos com David Carvalho, CEO e sócio fundador da Veracruz.

Como foi o ano agrícola?
O ano agrícola correu muito bem. A colheita decorreu na Herdade do Carvalhal e durou 45 dias. No total colhemos 400 toneladas de amêndoa das variedades Belona, Avijor e Soleta. Depois de, no ano passado, termos feito uma colheita simbólica, este ano superámos as previsões e foi o primeiro ano de grandes resultados para a Veracruz. Estes resultados são já fruto de uma estratégia assente em smart farming, que cuida com enorme precisão do solo, da água e das árvores. Com maior ou menor escala, em produção integrada ou em biológico, as apostas são fortes e certeiras nas plantações de frutos secos. Cientes dos desafios que se avizinham, mas crentes no potencial da fileira, os agricultores arregaçam as mangas e tudo fazem para colocar no mercado produtos nacionais de qualidade e com valor acrescentado.

Uma das apostas do grupo tem sido no smart farming. Que ferramenta ou recurso destacaria nas vossas operações?

O nosso projecto foi desenhado de raiz para unir a tecnologia à agricultura. No campo, usamos o que há de mais inovador para
reduzir o impacto de variáveis que não controlamos, e conseguimos medir com exatidão o uso da água, por exemplo. Criámos a Veratech, braço tecnológico do grupo, com uma equipa própria, que investiga, testa e implementa as ferramentas de smart farming e trabalha em estreita ligação com instituições académicas. Somos os primeiros produtores de amêndoa a ter um sistema de blockchain na produção que permite a toda a cadeia acompanhar o percurso do produto de forma 100% automatizada e em tempo real. Também somos pioneiros em
Portugal no uso da tecnologia Aqua4d, que trata a água antes de ser aplicada à cultura e promove o desperdício zero dos
recursos hídricos. Um dos projetos que temos em curso é incorporar todos os indicadores agrícolas, climáticos e industriais
numa grande base de dados que nos permitirá gerar informação fundamental sobre desempenho e processos. Esta análise
em tempo real utiliza Inteligência Artificial e Machine Learning e será uma ferramenta preciosa para gerir recursos e reduzir o
desperdício.

Confira a matéria completa aqui: FLF-225_grande-plano_parte-3